jump to navigation

CICLOVIAS DO TARUMÃ outubro 14, 2010

Posted by ringo4president in 4JOAN, Cidadania, Cultura, Idéias, Meio Ambiente, Moradores, Tarumã.
add a comment

O morador do bairro Felipe Souza, usa a bicicleta para ir ao trabalho.

Por: Daniel Santos e Guilherme de Paula Pires

Conhecida por ser uma cidade de vanguarda, Curitiba iniciou a implantação da malha ciclo-viária em 1977 na gestão de Saul Raiz. O primeiro trecho inaugurado foi o que hoje liga o Bairro Alto ao Alto da XV, por meio da ciclovia situada na Avenida Victor Ferreira do Amaral que possui 8 quilômetros de extensão. Essa via é utilizada diariamente por cerca de 100 ciclistas, porém o fluxo aumenta nos horários de pico.

Os horários que contam com maior fluxo são das 7h às 7h45 e das 17h30 às 18h30, períodos de ida e retorno do trabalho. A ciclovia da Rua Konrad Adenauer é uma das preferidas pelos ciclistas. É o caso de Felipe Souza que prefere a bicicleta para ir ao trabalho por ser um meio mais rápido e não poluente. “A nove meses utilizo a bicicleta para ir ao trabalho e tive um enorme ganho de tempo e saúde”.

Por outro lado as condições de conservação da ciclovia não são das melhores para os ciclistas, buracos e poças de água se formam no meio da ciclovia, iluminação pública ineficiente e em muitos casos danificada ou furtada por vândalos. Por ser uma via compartilhada, o trânsito intenso de pedestres também requer atenção redobrada, como afirma Souza. “Nos horários de pico é muito complicado pois os alunos do Colégio Militar, Colégio Paulo Leminski e Faculdades Unibrasil também usam a ciclovia o que causa um certo tumulto na via”.

Uma das alternativas para fugir do tráfego intenso de pedestres é os ciclistas utilizarem uma via paralela à Victor, que passa pela Passarela da Praça Nossa Senhora de Fátima, onde o fluxo é bem mais tranqüilo e o tempo de deslocamento é praticamente o mesmo, ou evitar os horários de pico.

A Prefeitura de Curitiba tenta incentivar o uso da bicicleta não só no bairro mas em toda a cidade e para isso pretende ampliar a malha cicloviária existente. Segundo levantamentos do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), hoje há cerca de 100 quilômetros de ciclovias na capital, sendo 70 quilômetros compartilhados com pedestres e 30 exclusivos para bicicleta.

A Secretaria de Urbanismo possui mais cinco projetos definidos onde serão implantados mais 45 quilômetros, além do plano de criar uma rede metropolitana de ciclovias, com extensão estimada em 42 quilômetros interligando a grande Curitiba. O projeto está sendo desenvolvido junto ao Plano Diretor Multimodal.

Por fim, para colocar de vez os curitibanos sobre duas rodas, o Ippuc pretende complementar o plano com equipamentos de apoio como paraciclos (espécie de estacionamento aberto para bicicleta), bicicletários (estacionamentos fechados) e um sistema de bicicletas de aluguel como ocorre em quase toda a Europa.

O que é o cicloturismo dezembro 7, 2009

Posted by Gleiciany Oliveira in 4JOAD, Cidadania, Cotidiano, Lazer, Meio Ambiente, Tarumã, Trabalho, Transporte, Uncategorized.
Tags: , , , , , , , , ,
add a comment

cicloturismo é uma forma de turismo que consiste em viajar utilizando como meio de transporte uma bicicleta. É uma maneira muito saudável, econômica e ecológica de se fazer turismo.

Neste video, Gestennberger Reis  fala sobre o cicloturismo e ciclismo.

http://www.bikesul.com/site/

Leis para ciclistas
As dificuldades em aderir ao uso da bike
Ciclovias de Curitiba
Ciclista e pedestres dividem espaço na Victor Ferreira
Economia para quem utiliza a bicicleta
Quanto custa a brincadeira
A bicicleta é uma boa alternativa para moradores do Tarumã

Economia para quem utiliza a bicicleta dezembro 7, 2009

Posted by Gleiciany Oliveira in 4JOAD, Cidadania, Cotidiano, Lazer, Meio Ambiente, Tarumã, Trabalho, Transporte.
Tags: , , , , , , ,
add a comment

Para os trabalhadores, a utilização da bicicleta pode resultaruma economia média de R$ 101,20 por mês. O equivalente a quase metade de uma sexta básica no Paraná, hoje cotada em R$222,67, segundo tabela do Dieese.  Os que trocaram o transporte público ou privado pela bicicleta, não se arrependem. O principal  benefício alcançado é a melhoria da qualidade de vida. “ o exercício  melhora o condicionamento físico e evitar problemas cardíacos, além de aumentar a disposição diária”, afirma Marcos Sebastião, médico.

Leis para ciclistas
As dificuldades em aderir ao uso da bike
Ciclovias de Curitiba
Ciclista e pedestres dividem espaço na Victor Ferreira
Quanto custa a brincadeira
O que é o cicloturismo
A bicicleta é uma boa alternativa para moradores do Tarumã

Quanto custa a brincadeira dezembro 7, 2009

Posted by Gleiciany Oliveira in 4JOAD, Cidadania, Cotidiano, Esporte, Lazer, Meio Ambiente, Ruas, Tarumã, Trabalho, Transporte.
Tags: , , , , , , , ,
add a comment

Para quem se animou em começa a pedalar, tem bike a partir de R$219,00.  Mais para aqueles que querem algo mais elaborado, aqui vão os preços.

Tabela com preços

Uma boa Bike R$690,00

Capacete        R$70,00

Luvas              R$37,00

TOTAL           R$797,00

Leis para ciclistas dezembro 7, 2009

Posted by Gleiciany Oliveira in 4JOAD, Cidadania, Cotidiano, Lazer, Meio Ambiente, Ruas, Tarumã, Trabalho, Transporte.
Tags: , , , , , , , ,
1 comment so far

O código de trânsito brasileiro prevê normas para a circulação de bicicletas, ainda desconhecidas de muitos. Segundo a legislação brasileira de trânsito, na falta de ciclovias o ciclista deve andar pela rua, a um metro e meio de distância das bordas. Além de seguir as mesmas normas obrigatórias aos veículos, o código também prevê o uso de alguns equipamentos obrigatórios como espelho retrovisor do lado esquerdo, olhos de gato e buzina.

http://www.transportes.gov.br/bit/trodo/codigo/index.htm

http://www.ippuc.org.br/

A bicicleta é uma boa alternativa para moradores do Tarumã
Ciclovias de Curitiba
Ciclista e pedestres dividem espaço na Victor Ferreira
Economia para quem utiliza a bicicleta
Quanto custa a brincadeira
O que é o cicloturismo
As dificuldades em aderir ao uso da bike

As dificuldades em aderir ao uso da bike dezembro 7, 2009

Posted by Gleiciany Oliveira in 4JOAD, Cidadania, Cotidiano, Lazer, Meio Ambiente, Ruas, Tarumã, Trabalho, Transporte.
Tags: , , , , , , , ,
add a comment

Manter uma bicicleta tem um baixo custo. Foto:Gleiciany Oliveira

As principais reclamações dos ciclistas são a má conservação das vias, o desrespeito dos motoristas e a falta de bicicletários. Para Gestennberger Reis, 49, dono de uma agência de cicloturismo, Curitiba é uma cidade onde há espaço para andar de bicicleta. O problema é que as empresas não motivam os seus funcionários a utilizarem a bicicleta para trabalhar. “Se oferecessem vestiários para os funcionários e local seguro para guardarem as bicicletas, com certeza mais pessoas trabalhariam de bicicleta”, diz. O que reduziria os congestionamentos na cidade mais motorizada do país, segundo dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

Leis para ciclistas
A bicicleta é uma boa alternativa para moradores do Tarumã
Ciclovias de Curitiba
Ciclista e pedestres dividem espaço na Victor Ferreira
Economia para quem utiliza a bicicleta
Quanto custa a brincadeira
O que é o cicloturismo

Ciclovias de Curitiba dezembro 7, 2009

Posted by Gleiciany Oliveira in 4JOAD, Cidadania, Cotidiano, Esporte, Idéias, Lazer, Meio Ambiente, Ruas, Tarumã, Trabalho, Transporte.
Tags: , , , , , , , ,
add a comment

Curitiba possui cerca de 120 quilômetros de ciclovias. Aumentar este número é uma alternativa para tentar reduzir os congestionamentos. O Plano de Mobilidade, um projeto do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano (IPPUC),  tem a intenção de ampliar em 87% as vias destinadas às bicicletas.O projeto prevê a implantação de ciclofaixas, rotas privilegiadas,  calçadas compartilhadas e colocação de bicicletários em pontos estratégicos,ainda a serem definidos.

Leis para ciclistas
As dificuldades em aderir ao uso da bike
Ciclista e pedestres dividem espaço na Victor Ferreira
Quanto custa a brincadeira
O que é o cicloturismo
Economia para quem utiliza a bicicleta
A bicicleta é uma boa alternativa para moradores do Tarumã

Ciclista e pedestres dividem espaço na Victor Ferreira dezembro 7, 2009

Posted by Gleiciany Oliveira in 4JOAD, Cidadania, Cotidiano, Economia, Esporte, Lazer, Meio Ambiente, Tarumã, Trabalho, Transporte.
Tags: , , , , , , ,
add a comment

Quem transita pela Avenida Victor Ferreira do Amaral, no Tarumã, tem um bom motivo para utilizar a bicicleta. Neste trecho, onde há a via compartilhada, o trajeto é calmo e a via esta em bom estado de conservação. Diferente de outras localidades da cidade.  Segundo Josué Fernandes, 42, Pedreiro, “o caminho é tranqüilo e tem espaço para todos utilizarem”. Ele mora no Bairro Alto e vai trabalhar de bicicleta todos os dias. O uso da  bicicleta é uma alternativa saudável e barata, além de economizar tempo. Segundo dados do (IPPUC), a bicicleta é um meio mais rápido em trajetos até 15 Km.

Leis para ciclistas
As dificuldades em aderir ao uso da bike
Ciclovias de Curitiba
A bicicleta é uma boa alternativa para moradores do Tarumã
Economia para quem utiliza a bicicleta
Quanto custa a brincadeira
O que é o cicloturismo

A bicicleta é uma boa alternativa para moradores do Tarumã dezembro 7, 2009

Posted by Gleiciany Oliveira in 4JOAD, Cidadania, Cotidiano, Esporte, Lazer, Meio Ambiente, Tarumã, Trabalho, Transporte.
Tags: , , , , , , , ,
add a comment

Via Compartilhada na Victor Ferreira é alternativa para ciclistas. Foto:Gleiciany Oliveira

Incentivar o uso da bicicleta e uma alternativa para reduzir os congestionamentos e a poluição. O Tarumã possui um dos trechos em melhor  conservação para a prática do ciclismo.  Quem opta por ir ao trabalho de bicicleta economiza em média,  R$101,20 em passagens de transporte urbano.

Leis para ciclistas
As dificuldades em aderir ao uso da bike
Ciclovias de Curitiba
Ciclista e pedestres dividem espaço na Victor Ferreira
Economia para quem utiliza a bicicleta
Quanto custa a brincadeira
O que é o cicloturismo
Outras reportagens – Ciclovia da Rua Konrad Adenauer tem melhores condições para ciclistas do que para pedestres

Agroecologia ao alcance de todos dezembro 2, 2009

Posted by Robério Marcolino Filho in 4JOAN, Alimentação, Cultura, Meio Ambiente, Uncategorized.
Tags:
add a comment

Reportagem de Robério Marcolino Filho

Tenda de Agroecologia

Tenda onde foi realizada a oficina de Agroecologia

Alessander Von Wagner Fagundes é aluno de Agronomia da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e responsável pela oficina de Agroecologia do Festival de Cultura do Paraná.  Esta oficina estava programada para as 9h de sábado (21/03) na reitoria, mas acabou sendo realizada na Praça Santos Andrade por uma questão de logística. A oficina foi realizada em molde todo particular.

Agroecologia tem ligação com teologia dezembro 2, 2009

Posted by Robério Marcolino Filho in 4JOAN, Alimentação, Meio Ambiente.
Tags: ,
1 comment so far

Sementes que poderiam ser uma alternativa

Segundo Henri Cristo, como é conhecido Fagundes a agroecologia é um movimento multidisciplinar, holístico e sistêmico, cujo objetivo seria romper com o atual programa de desenvolvimento mundial. O movimento teria tido suas raízes em movimentos da década de 70 com o feroz avanço dos latifúndios e o aumento dos problemas sociais na América Latina. Segundo Fagundes o movimento teria sido inspirado pela teologia da libertação, cujo objetivo era melhorar a qualidade de vida dos pobres latino-americanos tendo por base a cultura cristã.

Os principais membros desta teologia se reúnem no Fórum Mundial Social (FMS) desde 1997, mesmo o ápice do movimento tendo sido entre os anos 70 e 80. O último encontro tinha como tema: água, terra, teologia para outro mundo possível, mais informações no site oficial do Fórum Mundial de Teologia e Libertação.

Agricultura orgânica, permacultura, sistemas agrosilvipastoris, cultivo familiar entre outros seriam as bases técnicas para a agroecologia rural. Nas concepções políticas a igualdade entre os homens e movimentos dos direitos humanos seriam as bandeiras levantadas pelo movimento.

Bibliografia utililazada como base na agroecologia

Lixeiras são o suficiente, mas falta responsabilidade outubro 5, 2009

Posted by suelen24 in 4JOAN, Capão da Imbuia, Cidadania, Educação, Meio Ambiente.
Tags: , , , ,
6 comments

Copos descartáveis, garrafas de água, papéis de bala, bitucas de cigarros e uma variedade de chicletes grudados no chão. Esse é o terminal do Capão da Imbuia.

Francisco Martins, fiscal-supervisor da Urbanização de Curitiba S/A (Urbs), trabalha há cinco anos no terminal e informa que há dois funcionários que cuidam da manutenção, contratados pela Urbs. “Eles são temporários, começam às 7h da manhã e vão até 16h, fazem a limpeza dos banheiros, das guaritas e do chão”.

São mais de 20 lixeiras espalhadas, algumas com menos de um metro entre elas. Essas são as que estão fixadas nos pilares, mas há também aquelas improvisadas pelos pequenos comerciantes do local, como galões de detergentes ou gasolina. Mirian da Silva, comerciante há oitos anos, reclama. “Pagamos a manutenção de um dia inteiro e só é feito em um turno”. A manutenção é cobrada mensalmente pela Urbs.

Martins confessa. “É difícil manter o terminal limpo, pois existe um fluxo muito grande de pessoas e apesar das lixeiras não damos conta. É feito a limpeza constante, mas o pessoal não colabora”.

 Suelen Rocha- 4º JOAN.

O Capão tem muito mais que Imbuia na sua história junho 27, 2009

Posted by valdimillaferreira in Capão da Imbuia, História, Lazer, Meio Ambiente.
Tags: ,
add a comment
 
Araucária e a Imbuia são usadas pelas indústrias moveleiras e de papel celulose. Foto: Valdimilla Ferreira
Araucária e a Imbuia são usadas pelas indústrias moveleiras e de papel celulose. Foto: Valdimilla Ferreira

Quem passa hoje pelo bairro Capão da Imbuia talvez não imagine que um dia todo o território já foi mata fechada. A paisagem descobertava uma imagem de plantas nativas de nosso estado (o Pinheiro-do-Paraná era um deles). O espaço contemplava também várias outras espécies como as Canelas e as muitas Imbuias, daí o nome atribuído ao bairro – Capão (mata fechada) da Imbuia (árvore presente em todo o território). Vítimas da exploração comercial, a mata foi aos poucos se abrindo em razão das derrubadas das Araucárias e Imbuias, que passaram a interessar à economia florestal e às madeireiras do país. Essas árvores já estavam fadadas a serem transformadas em móveis e papel celulose. (mais…)

Aumenta o número de cachorros no terminal do Bairro Alto junho 13, 2009

Posted by valdimillaferreira in Bairro Alto, Meio Ambiente, Transporte.
Tags:
add a comment
Terminal do Bairro Alto é invadido por cães. Foto: Valdimilla Ferreira

Terminal do Bairro Alto é invadido por cães. Foto: Valdimilla Ferreira

Há mais de dois anos o terminal do Bairro Alto sofre com a freqüência dos cachorros dia e noite, o que vem se tornando um grande problema para a população. É o caso do motorista Maurício Andrade, que diz ter presenciado passageiro correr para pegar ônibus e cachorro correr atrás. Se antes eram quatro, hoje o número chega a 13 cães no local à procura de comida e um canto para dormir. Segundo a veterinária Simone Vasconcellos, o terminal foi um dos locais escolhidos pelos cachorros porque ali têm seu alimento e são tratados com carinho por algumas pessoas. (mais…)

Mudança no combustível reduz consumo e poluição maio 19, 2009

Posted by valdimillaferreira in Esporte, Eventos, Meio Ambiente.
add a comment

O Campeonato Mundial de Carros de Turismo (WTCC) estreou a temporada 2009 em Curitiba com a segunda geração de biocombustíveis. A empresa Panta, fornecedora de gasolina e diesel para a competição, anunciou a utilização de 10% de etanol no combustível.

A nova fórmula é feita com resíduos obtidos com o processo de fabricação de açúcar e vai reduzir a utilização de combustíveis fósseis. A competição aconteceu nos dias 7 e 8 de março, com um consumo previsto de 70 mil litros. A estimativa é de uma poluição 6,3% menor com a novidade.

O comerciante de autopeças do Boqueirão Maurício Vidal, 27 anos, conferiu a prova dos boxes e acredita que “os fabricantes estão produzindo motores eficientes e menos poluentes, pois as normas de proteção ambiental estão mais exigentes”.

Valdimilla Ferreira Lima

 WTCC gera menos barulho e incômodo que ‘arrancadão’

Resultado do projeto PraQbrá incentiva novas ações dezembro 25, 2008

Posted by Rafael Schoenherr in Cajuru, Cidadania, Meio Ambiente.
Tags: ,
1 comment so far
praqbra_1

Os primeiros instrumentos foram feitos com materiais recicláveis. Foto: Day Meller.

As conquistas do projeto PraQbrá criado em 2004, nas Moradias Cajuru, com intuito de promover a inclusão social, têm motivado a Grande Roda de Tambores, ONG responsável pelo projeto, a buscar profissionalizar a idéia, expandindo-a. Remuneração, patrocínio e maior proximidade da comunidade são metas para 2009.

(mais…)

Bosque do Capão da Imbuia livre das sufocadoras dezembro 23, 2008

Posted by taynasaldanha in Capão da Imbuia, Lazer, Meio Ambiente.
Tags: ,
add a comment
Árvores nativas da espécie araça vão ocupar o lugar das plantas sufocadoras.

Árvores nativas da espécie araçá vão ocupar o lugar das plantas sufocadoras.

Técnicos da Secretaria Municipal do Meio Ambiente começaram no fim de novembro um  mutirão para retirar plantas invasoras sufocadoras do Bosque do Capão da Imbuia, que fica no Museu de Historia Natural de Curitiba. No lugar dessas plantas sufocadoras vão ser colocadas pitangas, araçás, araucárias e outras plantas nativas do Paraná. Entre os voluntários estão integrantes do Exército Nacional, biólogos, funcionários de serviços gerais, estagiários e estudantes. (mais…)

Medidas conjuntas ainda podem salvar o Rio Belém dezembro 23, 2008

Posted by marcosmariano in Cajuru, Meio Ambiente.
Tags: , , , ,
2 comments

 

Aparência ruim e lixo nas águas prejudicam o Rio Belém.

Aparência ruim e lixo nas águas prejudicam o Rio Belém.

Cheiro ruim, aspecto feio e lixo boiando em suas águas. Essa é a imagem que o curitibano tem quando se fala do Rio Belém. Prejudicado pelo crescimento urbano, o rio se tornou um grande canal de esgoto. Mas medidas certas, se forem tomadas, podem ajudar a recuperar o rio. Segundo a assessora de comunicação da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Eliana Fachim, a principal delas é a conscientização da população. O Rio Belém corta a cidade de norte a sul. Na Zona Leste, passa pelo bairro Cajuru. “O poder público tem responsabilidade, em conjunto com outros órgãos, sobre o rio, porém se a população que não têm ligação de esgoto em sua casa não regularizá-la, a situação não muda”.  Uma medida simples para verificar isso, segundo Eliana, seria colocar corante xadrez no vaso sanitário, em pias e ralos para verificar se o escoamento da água está regular. (mais…)

Trágefo e pavimentação elevam temperatura no Bairro Alto novembro 25, 2008

Posted by andressa100 in Bairro Alto, Cajuru, Cotidiano, Educação, Meio Ambiente, Tarumã.
Tags: , , ,
add a comment
Professora Carolina Cañete, do Colégio Estadual Paulo Leminski, no Tarumã.

Professora Carolina Cañete, do Colégio Estadual Paulo Leminski, no Tarumã.

Curitiba vem apresentando alterações em suas condições climáticas. Francisco de Assis Mendonça, professor e doutor do Departamento de Geografia da Universidade Federal do Paraná (UFPR), pesquisou sete bairros da capital a partir do segundo semestre de 2006 e constatou que na Zona Leste as temperaturas mais elevadas ocorrem no Bairro Alto. “Lá existe tráfego intenso, principalmente de transporte coletivo, muita área pavimentada, pouca arborização e ocupação intensa”, justifica o professor. O bairro de menor temperatura e menor amplitude térmica foi o Cajuru.  “Esta região está num dos pontos mais baixos da cidade, apresenta muitas vias sem pavimentação e arborizadas, pouco tráfego e ocupação, diferente do Bairro Alto”, e conclui: “ É preciso repensar o processo de urbanização.” (mais…)

Carros do IML adaptados com urnas de fibra novembro 1, 2008

Posted by anacarula in Cajuru, Economia, Meio Ambiente, Transporte.
Tags: , , , ,
add a comment
 
Novos carros terão urnas de fibra
Novos carros terão urnas de fibra.

O Instituto Médico Legal de Curitiba (IML) está substituindo os carros antigos de transporte de corpos, as Caminhonetes D-20, por Renault Máster. O espaço interno dos veículos novos é maior e possui um sistema de higiene mais completo, com reservatório para lavagem das mãos. Para cada automóvel estão sendo construídas quatro urnas com tampas. Atualmente existem apenas duas caminhonetes para transporte de corpos em Curitiba e Região Metropolitana. (mais…)

Cães invadem terminal do Bairro Alto setembro 26, 2008

Posted by osvaldopires in Bairro Alto, Meio Ambiente, Transporte.
add a comment

Os usuários do terminal de ônibus do Bairro Alto têm dividido o espaço com visitantes que podem ao mesmo tempo ser simpáticos como nocivos. Os moradores do bairro bem como os funcionários do transporte público procuram uma solução para a questão, porém sem sucesso. Cachorros freqüentam o terminal dia e noite, e vagam pelo local procurando comida e um lugar mais quente onde possam dormir. Variam de tamanho e também de temperamento, uns saudáveis outros nem tanto. (mais…)

Escola estimula consciência ecológica em crianças setembro 23, 2008

Posted by flaviapp in Educação, Meio Ambiente, Pinhais.
add a comment

O Centro de Atendimento Integral à Criança (CAIC), localizado na Vila Maria Antonieta, no município de Pinhais, aderiu ao Projeto Viver e Aprender. O programa que é desenvolvido pela Secretaria Municipal de Ação Comunitária e Social, atende atualmente 115 crianças e adolescentes com idade entre 7 a 14 anos. Formado por uma equipe de doze funcionários e dirigido pela coordenadora Nadyr Maria Nowazeski, crianças e adolescentes recebem no período da manhã e tarde atividades como reforço escolar, aulas de arte, teatro, acompanhamento sociológico e refeições com nutricionista. No início deste mês as crianças plantaram em apenas um dia mais de cem mudas de árvores dentro do próprio CAIC, um trabalho focado na consciência ecológica. Para participar é necessário que a família comprove rendimento menor que três salários mínimos e que a criança esteja estudando.

Flávia Pinheiro Pereira

Aluna do Paulo Leminski participa do Jovem Cientista 2008 setembro 22, 2008

Posted by katymary in Educação, Meio Ambiente, Tarumã.
1 comment so far

A estudante do 3º ano do curso de Meio Ambiente da escola Paulo Leminski, Caroline Mansano, de 19 anos, concorre ao XXIII prêmio Jovem Cientista – edição 2007 – com o tema “A questão do Lixo no Aterro do Caximba”. A proposta do trabalho é analisar a situação do aterro, que recebe nos seus 410 mil m², cerca de 2,5 mil toneladas de lixo por dia, oriundas de Curitiba e Região Metropolitana. O trabalho também foca o assunto em outros aspectos, como a educação e o choque ambiental, índices de toxicidade, licenças para uso do local e o trabalho dos catadores de papel.

A estudante Caroline Mansano e a professora orientadora Karin Schellman.

A estudante Caroline Mansano e a professora orientadora Karin Schellman.

(mais…)

Museu Natural contribui para ensino básico e superior setembro 20, 2008

Posted by biancasilva18 in Educação, Meio Ambiente.
1 comment so far

 O setor de Educação Ambiental do Museu de História Natural Capão da Imbuia recebe semanalmente escolas de Curitiba. Por mês, aproximadamente 500 crianças da rede Municipal, Estadual e Particular de Ensino utilizam o serviço.  O museu comporta exposições com animais taxidermizados e possui um bosque remanescente de Floresta com Araucária da região de Curitiba. Ao todo, são cerca de cerca de 3 mil visitantes por mês. (mais…)