jump to navigation

A dama de asfalto setembro 3, 2009

Posted by arispires in Uncategorized.
trackback

Calada e imóvel, ela passa longas horas vendo pessoas irem e virem. Sem esboçar uma reação sequer, é pisoteada, vomitada, queimada e urinada. A bela negra que antes despertava admiração, agora é apenas mais uma entre tantas na cidade. Não tem sequer trinta anos, mas seu corpo já foi percorrido por muitos. A jovem dama é usada e abusada dia e noite. A usam por alguns minutos e vão embora, deixando muitas vezes como pagamento um chiclete mastigado, ou uma nojenta cuspida. Apesar de tudo ela está sempre lá, passiva, dando sustentação a todos. Porém poucos são os que percebem sua importância, talvez somente o velho que a limpa diariamente, e os cães que a cheiram procurando restos de alimento. Em um lugar onde as pessoas passam correndo, é fácil perceber o ônibus lotado, o banheiro sujo, o guarda na guarita, mas apenas os bons observadores percebem a importância que tem uma simples pista de asfalto.

Zé pires

Anúncios

Comentários»

1. Professor - setembro 3, 2009

atentar para os erros de acentuação, vírgula e espaçamento após o ponto.

2. Professor - setembro 3, 2009

tirar o título repetido.

3. ricardofrancio - setembro 5, 2009

Zè, na sua primeira frase você colocou “Quando entrou no terminal a seguida há três quadras”. Nao seria “Quando entra no terminal em siguuda há Três quadras”?

ze pires - setembro 9, 2009

Caro Ricardo eu não coloquei a seguida e sim a seguia.E sua sugestão com a palavra “siguuda” acho melhor não colocar.

4. ricardofrancio - setembro 5, 2009

O restante está perfeito, é bem assim mesmo. Parece um rio seco, meus parabens

5. Professor - setembro 9, 2009

Quando entrou no terminal,
Tirar espaçamento antes do texto.
só tinham um alvo.la?????
A viu se afastar?
, porém
última
cujo asfalto
a dúvida que fica no leitor: a história é verdadeira? O que garante? o que vc pode oferecer ao leitor para dar essa sinalização?

6. arispires - setembro 15, 2009

Devido às inumeras críticas recebitadas na postagem anterior, eis aí uma nova

7. Professor - setembro 16, 2009

Caro, ficou bem melhor, o texto ganhou maior fluência nessa nova investida. Além do ponto de vista original. Algumas novas orientações para ajustes:
– 30 anos (um a dez por extenso apenas)
– o final é uma provocação aos colegas, mas tudo bem, está valendo, tah dentro do espírito da coisa (vamos aguardar os comentários rs).
– sugestão para melhorar a primeira frase: no lugar de irem e virem, “vendo o ir e vir das pessoas”.
Essa pista é uma Geni, maldita Geni! boa.

8. artedocinema - outubro 2, 2009

Oie
muito interessante seu texto!! divertido.
Parabéns.
Karilene.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: