jump to navigation

Medidas conjuntas ainda podem salvar o Rio Belém dezembro 23, 2008

Posted by marcosmariano in Cajuru, Meio Ambiente.
Tags: , , , ,
trackback

 

Aparência ruim e lixo nas águas prejudicam o Rio Belém.

Aparência ruim e lixo nas águas prejudicam o Rio Belém.

Cheiro ruim, aspecto feio e lixo boiando em suas águas. Essa é a imagem que o curitibano tem quando se fala do Rio Belém. Prejudicado pelo crescimento urbano, o rio se tornou um grande canal de esgoto. Mas medidas certas, se forem tomadas, podem ajudar a recuperar o rio. Segundo a assessora de comunicação da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Eliana Fachim, a principal delas é a conscientização da população. O Rio Belém corta a cidade de norte a sul. Na Zona Leste, passa pelo bairro Cajuru. “O poder público tem responsabilidade, em conjunto com outros órgãos, sobre o rio, porém se a população que não têm ligação de esgoto em sua casa não regularizá-la, a situação não muda”.  Uma medida simples para verificar isso, segundo Eliana, seria colocar corante xadrez no vaso sanitário, em pias e ralos para verificar se o escoamento da água está regular.

Projeto de recuperação das margens do Rio Belém ainda não tem data para iniciar.

Projeto de recuperação das margens do Rio Belém ainda não tem data para iniciar.

 O Rio Belém é um curso d´água genuinamente curitibano e sua extensão é de 21 km. A nascente e a foz estão dentro da cidade, o rio nasce no bairro da Cachoeira e desagua nas cavas do Rio Iguaçu, no Boqueirão. A extensão da rede de esgoto de Curitiba é de 4.676 mil quilômetros, mas o Rio Belém ainda recebe ligações irregulares, tanto de esgotos na rede de águas fluviais, como também de ligações de rede de águas pluviais na rede coletora de esgoto sanitário, segundo a Sanepar.

A bacia do Rio Belém é a maior de Curitiba em número de ligações de água e de esgoto, mas há pelo menos 12,7 mil ligações irregulares. Atualmente 81% dos moradores já dispõem de rede coletora, segundo os dados oficiais. O problema é que 19,7% dos imóveis da bacia – 24,8 mil residências – não estão ligados à rede e o maior índice encontra-se nos bairros centrais. Isso significa que pessoas podem estar despejando seus dejetos diretamente no Belém ou nos riachos que desaguam nele. 

A Prefeitura de Curitiba, através da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, tem projeto de recuperação das margens do Rio Belém nos mesmos moldes dos executados no córrego Aviário, no Jardim Botânico, onde o local ganhou árvores nativas como aroeiras, araçás e tarumãs. Este trabalho fez parte do projeto de compensação ambiental pelas obras da Linha Verde, o corredor da Rede Integrada de Transporte em implantação no trecho urbano da antiga BR-116.

O mesmo trabalho será feito um pouco mais à frente, num trecho de 600 metros no Rio Belém, onde o aviário desagua. Às margens do Belém, no trecho entre as ruas Plácido de Castro e Capitão João Ribas de Oliveira, no Guabirotuba, serão plantadas 500 árvores de espécies nativas.

No total, a área a ser recuperada no Belém chega a 13,6 mil metros quadrados, nas duas margens do rio. O plantio começará no ponto em que rio encontra a Linha Verde, na altura da rua Plácido de Castro, se estenderá até a rua Salgado Filho e depois continuará em direção à rua João Ribas de Oliveira. A área a ser recuperada é paralela à antiga rodovia e está degradada e sem vegetação nas margens.

O projeto de recuperação das margens do córrego Aviário e do rio Belém foi feito por técnicos da Secretaria Municipal do Meio Ambiente. As espécies escolhidas para plantio são típicas de mata ciliar e incluem, entre outras, cerejeira do mato, araçá amarelo e araçá vermelho. Além das árvores, será feito o plantio de grama para evitar a erosão nas margens do rio.

Despoluição do Rio Belém

Despoluir o Rio Belém exige investimentos, ações do poder público e participação da população. Algumas medidas necessárias para isso:

• Expandir a rede de esgoto para 100% das casas.

• Combater as ligações de esgoto clandestinas, em várias casas as ligações do esgoto estão nas galerias de águas da chuva.

• Envolver a população no projeto de revitalização.

• Resgatar a identidade da população com o Belém. Revalorizar o rio com obras paisagísticas para torná-lo um local aprazível de se freqüentar, com praças, bosques e jardinetes.

• Implantar sistemas de contenção de enxurradas e de reservatórios para conter a água da chuva em residências e prédios.

Tratar a água poluída dentro do próprio rio. Se a poluição continuar a chegar ao Rio Belém, ainda é possível despoluí-lo por meio de um processo de tratamento da água dentro do próprio leito.

O rio nasce no bairro Cachoeira e desagua nas cavas do Rio Iguaçu.

O rio nasce no bairro Cachoeira e desagua nas cavas do Rio Iguaçu.

 
Rio Belém ainda recebe ligações irregulares de esgoto.

Rio Belém ainda recebe ligações irregulares de esgoto.

A bacia do Rio Belém é a maior da cidade.

A bacia do Rio Belém é a maior da cidade.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: