jump to navigation

Padre Valdir pode deixar a comunidade do Bairro Alto dezembro 15, 2008

Posted by daiaqss in Bairro Alto, Cotidiano, História, Moradores.
Tags: , ,
trackback

Após nove anos como sacerdote na Paróquia Maria Mãe da Igreja, no Bairro Alto, o Padre Valdir Borges (Frei Valdir) deve deixar a comunidade. A mudança acontece no início de 2009, após uma reunião que envolve todos os padres da Ordem dos Servos de Maria (OSM). O encontro que decide o destino de todos os padres pertencentes à OSM acontecerá no dia 13 de janeiro de 2009, exatamente ao meio-dia, na cidade de Turvo, em Santa Catarina.

Destino de Frei Valdir deve ser definido em janeiro
Destino de Frei Valdir deve ser definido em janeiro.

 Frei Valdir, hoje com 44 anos, é natural de Criciúma. Chegou ao Bairro Alto em fevereiro de 2000, quando a comunidade católica Maria Mãe da Igreja era ainda uma capela. Daqui a 60 dias o padre comemora nove anos de trabalho marcados por muitas transformações na comunidade. A maior delas foi há dois anos e meio, quando a então Capela ascendeu a Paróquia.

Várias reformas também marcaram esse período. As mais importantes ocorreram nas dependências utilizadas pela própria comunidade, como criação da sala de reuniões multiuso; salão Marta e Maria, onde a Pastoral Social ministra cursos e atividades com as famílias carentes; novo salão de festa, que passou a contar com uma quadra poliesportiva; além da reforma da própria igreja. No bairro, mudanças também ocorreram como a reforma da Rua Alberico Flores Bueno, da Praça da Liberdade, a inauguração da Vila dos Talentos, entre outras.

Inspirado pelo irmão mais velho, que também é padre, Frei Valdir entrou muito jovem no seminário. Contudo, ao se despedir da adolescência, resolveu largar a batina e curtir a vida de solteiro. Uma experiência que, segundo ele, serviu para tirar dúvidas sobre sua vocação. A partir disso, percebeu que seria padre por vontade própria e não porque o irmão dele queria. Sete anos após a saída, o então estudante Valdir retornou ao seminário para concluir os estudos e ordenar-se padre.

Relação com a comunidade

Mesmo com longa experiência de seminário e academia, Frei Valdir afirma que só aprendeu a ser padre com a comunidade. “Eu não tinha idéia do que era uma paróquia, mas o povo me ajudou e ensinou. Graças a Deus, eu aprendi com o povo”. Alguns erros do início do sacerdócio jamais seriam repetidos hoje. “Quando eu cheguei aqui e não sabia como trabalhar, fui um pouco impulsivo e afastei umas duas pessoas da comunidade. Pedi perdão pra elas, e agora estamos em paz. Hoje eu não faria mais isso, pois não devemos afastar ninguém”.

Para Jair Sgrott Fernandes, que trabalhou com o padre no conselho da igreja, a saída do padre da comunidade não representa uma perda. Pois em função do rodízio feto pelos padres da OSM, mais cedo ou mais tarde ele retornará para o Bairro Alto. Jair conta que considera Valdir mais do que um irmão, pois no momento em que ela mais precisou de apoio, na morte do marido, o padre foi o melhor amigo, estando presente, dizendo palavras de conforto para ela e a família.

Mas o que impressiona no Padre Valdir é a capacidade de registrar nomes, números, datas, na memória. Matemático, sempre gostou de números: “Os números me fascinam, me encantam… algumas vezes, no trânsito eu memorizo placas, carros, pra exercitar um pouco a memória. Tudo é uma questão de exercício”.

O amor pelos números era evidenciado na PUC, onde até 2007 ele foi professor de matemática. Mesmo sabendo que tem aceitação muito grande pela comunidade, Valdir Borges gosta de saber que não é unanimidade. “Cuidado quando todo mundo gosta de você. Uns 30% não têm que estar de acordo com você, porque senão você não é autêntico”.

Como recado de despedida para a comunidade, Frei Valdir pede que todos cresçam sempre em comunhão, na mesma participação e capacidade de servir. Pede também que todos acolham bem o novo padre, sem fazer comparações. O destino do padre, após a reunião que acontece em janeiro, pode ser o Rio de Janeiro-RJ, São Paulo-SP, São José dos Campos-SP, Turvo-SC, Rio Branco-AC ou Sena Madureira-AC. Uma remota possibilidade de permanência também existe, contudo bastante improvável.

Repórteres Fábio Mandryk e Daiane Rosa

Comentários»

1. Vera Lucia do Prado - julho 30, 2011

Oi Valdir td bem com vc? Sinto muita saudades sua. Vc está em ctba se vc puder me mande um email para op.lv02@gmail.com, pois gostaria muito de manter contato com vc meu amigo pois tu és uma pessoa muito importante na minha vida. bjs

ELIETE ROSA DE SOUZA - novembro 28, 2012

OI DIDI eu sou tua parente tenho muita saudade de vc pois ti vi uma so vez e foi na casa da dona Otovia que e minha sogra entre neste endereço para nos conversa

2. ELIETE ROSA DE SOUZA - novembro 28, 2012

o meu endereço e elieterosa2@hotmail.com

3. ADÉLCIO JORGE PERETTO - outubro 3, 2013

E aí Valdir !!!!
Tudo bem com vc ?
Por onde vc anda ?
Eu sou o Adélcio, estudamos no Seminário do Turvo.
Mande notícias suas.
Um abraço.

4. ADÉLCIO JORGE PERETTO - agosto 16, 2014

Olá amigo Frei Valdir Borges, mande notícias suas.Um braço


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: