jump to navigation

Crise começa a afetar pequeno comerciante nos bairros novembro 18, 2008

Posted by taynasaldanha in Capão da Imbuia, Comércio, Economia.
Tags: , ,
trackback

A pergunta mais freqüente entre os brasileiros é como essa crise vai afetar o nosso bolso. Avaliações sobre reflexos no comércio dos bairros são divergentes.

A cesta básica ja sofreu alta no valor por causa sa crise econômica. No último mês foi mais de 1,5%.

A cesta básica ja sofreu alta no valor por causa sa crise econômica. No último mês foi mais de 1,5%.

 

Segundo Fernando M. H. Gonçalves, sócio da Intertrading Agentes Autônomos de Investimentos, o Brasil não corre risco com a crise, pois os 60 anos de maxi-inflação, período em que a inflação esteve no índice mais alto, deram ao nosso país um bom sistema econômico. “O Brasil se encontra com uma economia solidificada e preparada para gestão cambial. Felizmente por ter uma política própria e exclusiva, nosso país está, de certa forma, blindado contra essa crise”.

Por outro lado, há quem diga que a crise já chegou no Brasil. É o que alega Felício Borges, morador do bairro Capão da Imbuia e diretor de importação da FB Representação e Distribuidora LTDA. “A crise já chegou no Brasil sim, discretamente, pois a massa ainda não pode sentir, mas vai sentir logo”. As taxas de juros vão ficar muito altas. “Já podemos sentir isso na cesta básica. Só no último mês teve um aumento de 1,82%. Também vamos perceber isso em itens de conforto, como automóveis, que no último mês tiveram queda em vendas, o que não acontecia no mesmo mês há 4 anos”.

O pequeno comerciante

Para Fernando Gonçalves nesse primeiro momento a crise não vai afetar o valor em compras de supermercado e estabelecimentos pequenos. “Só afetará agora as empresas que tenham bens exclusivamente importados. Caso contrário não vai mudar nada”. Porém segundo a moradora do Capão da Imbuia, Ana Elisa da Rosa, os preços dos produtos de supermercado já aumentaram. “Só faço compras em uma mercearia perto de casa e já vi que produtos como arroz e feijão aumentaram o preço. O que antes comprava com R$ 150 hoje gasto mais de R$ 200”.

Felício Borges, que trabalha com importação de alimentos, ainda afirma que no próximo ano as empresas de pequeno porte podem sentir mais o aumento por causa da crise. O preço das matérias-primas deve subir e o consumo diminuir. No início de 2009 vamos ter muita oferta de bens de consumo e custo bem maior de produtos alimentícios, principalmente os importados. O que vai ocasionar mais procura por produtos nacionais e o incentivo do mercado interno.

A crise

Não podemos dizer que o que está acontecendo é uma crise cambial, pois os reflexos no valor do dólar são naturais frente as dificuldades econômicas no todo. De acordo com Fernando Gonçalves, pelo fato do Brasil ser um país emergente vê no dólar uma maneira de se proteger contra fortes oscilações de mercado. “A alta do dólar vista hoje tem três fortes precedentes. O primeiro, e mais importante, é a crise mundial de crédito e liquidez, ou seja, a escassez de crédito distribuída pelo mercado. Num segundo plano, o sentimento de insegurança que valoriza a moeda pela forte procura, a tendência é que se procure produtos nacionais e portanto aumente a segurança na moeda Real. Por fim a fuga de capitais do país, pelo fato do Brasil ter atraído e ainda atrair muito capital estrangeiro não corre o risco de perdê-los”.

Tayná Saldanha

Anúncios

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: